Páginas

Translate

Beleza gris

Google Images
Gris, gris ... o que seria gris? Desafiada ao ler a palavra na capa do novo livro, recorri ao Google. Poderia ser mais que uma palavra estrangeira, uma óbvia para me envergonhar. Tecla aqui, passa os olhos nos significados, nas imagens. 

Então descobre que gris é uma espécie de esquilos. Bichinhos tão ariscos, difíceis de fotografar, mas tão lindos... No Hemisfério Norte são tantos quanto são comuns por aqui os nossos calangos de jardins. Com a diferença de beleza que pode não agradar a alguns muitos. 

Fiquei à espera do livro, com autógrafo, que pedi para a autora, amiga virtual. As Crônicas Gris chegaram com a moça linda e sem cabelos na capa. A imagem inquieta. Fui lendo, lendo e sem perceber cheguei ao fim. Não havia um só esquilo poeta. Gris é de grisalho, cabelo, cabeleira que cresce e envelhece.  Simples assim. 

Por isso, confesso aqui que tenho uma amiga esquilo. Ela é o Tico. E eu o Teco. Ou vice-versa, nunca decorei. Sou desligada ao extremo de não ter percebido a associação tão óbvia. As três primeiras crônicas justificam e esclarecem o título do livro e nos deixam a lição de que a vida é muito mais importante que toda a vaidade da nossa cabeleira, seus cortes, volumes, cores. 

Sintam o vento, sintam a vida, dispam-se da vaidade. Sensível percepção de Ana Paula Amaral que não escreveu um livro, mas traduziu sua alma, seu amor pela família, pelas coisas simples e valorosas. Apresentou-se gentilmente ao leitor. 

E se é para brincar de escolher uma crônica, fico com as mãos de Eugênia que carregam viva o frescor do amor recolhido e distribuído ao longo dos anos. Que importam as pintas, as rugas, os fios brancos? A vida é linda porque tem um começo e um fim. Que sejam eternas as nossas lembranças, escritas ou não.

Tentei achar a música de Elizabeth Woolley, que traz versos de Ana Paula: " Busco uma melodia para nos envolver/ uma melodia apenas/ com ausência de letra." 

Como não achei, vale a intenção? De presente para a delicada Ana Paula: 





16 comentários:

  1. Emocionada e sem palavras.
    E ainda ganhei de presente uma canção da Elizabeth!
    Que haja beleza em todos os caminhos, nas cores ou no gris, esquilos, calangos, amigos virtuais. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Lindo carinho e sabes, estou esperando chegar o meu livro. A Saraiva tá demoradinha. Adorei ver essa homenagem à querida Ana Paula! beijos às duas! chica

    ResponderExcluir
  3. Ops. olha eu falando mal e nem é a verdadeira. Quem está demorando( 24 dias me prometeram) é a Livraria Cultura!

    bjs,chica

    ResponderExcluir
  4. Minhas crônicas gris da passarinha esquilinha Ana já está aqui em meu ninho.
    Vai virar post por lá também.

    Meu significado de gris escolhido foi a cor com direito a fundo musical na voz de Marisa.

    "Apagaram tudo
    Pintaram tudo de cinza
    A palavra no muro ficou coberta de tinta

    Apagaram tudo
    Pintaram tudo de cinza
    Só ficou no muro tristeza e tinta fresca

    Nós que passamos apressados
    Pelas ruas da cidade
    Merecemos ler as letras e as palavras de gentileza

    Por isso eu pergunto a você no mundo
    Se é mais inteligente o livro ou a sabedoria

    O mundo é uma escola
    A vida é um circo
    Amor palavra que liberta
    Já dizia um profeta"

    Cinza azulado, Ana e suas crônicas, liberdade, poesia, reflexão adornada para nosso dia e nossas vidas :)

    ResponderExcluir
  5. Nunca li, mas confesso que estou curiosa. Vou verificar se tem na saraiva.
    Beijo RÔ

    ResponderExcluir

  6. Estou cercada de gente sensível e isso me agrada tanto!

    Muito sucesso pra escritora Ana Paula.


    Pra você deixo Manoel de Barros

    Eu lisonjeio as palavras. E elas até me inventam. E elas se mostram faceiras para mim. Na faceirice as palavras me oferecem todos os seus lados. Então a gente sai a vadiar com elas por todos os cantos do idioma.

    |- Memórias Inventadas - A Terceira Infância|


    um beijo

    ResponderExcluir
  7. Parabéns à Ana Paula.

    Com certeza, pelo que dizes, há aí lições que preciso aprender...

    bjos

    ResponderExcluir
  8. Tô aqui, sentadinha no toco, esperando o meu livro chegar. Quero muito saborear cada palavra e me abastecer de sensibilidade, delicadeza e ternura que, tenho certeza irei encontrar em cada crônica. E um aviso para quem leu: não conte como é o último capítulo!!!

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito Rovênia, uma homenagenzinha faz tão bem ! e a AnaPaula é uma querida mesmo!
    Escreve bem recebe bem é sensível e romântica dentro do que podemos ser nesse nosso mundinho de filhos trabalho o tal dia a dia.
    Tenho andado super atarefada sem tempo para comentar e visitar os amigos que tanto quero bem,
    e sinto falta dessa nossa prosa costumeira,
    abraços Rôvenia , parabéns também pelos post's anteriores-adorei e li todos.Desculpe a ausência.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. Rovênia, sensacional a sua homenagem (merecida) a grande amiga Ana Paula. Lindo mesmo.

    Um beijo para as duas

    Manoel

    ResponderExcluir
  11. Que lindo.
    Nem preciso falar que fiquei muito curiosa para ler, né?
    Está a venda? Algo assim?

    @karlinhakv
    www.fizdecanetinha.com

    ResponderExcluir
  12. Lindo este seu post, Rovênia! Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Bela homenagem...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  14. amei o post tb nao conhecia a palavra!
    Obrigada pela visita no blog!
    Bjs e volte sempre!
    Bel Carvalho
    http://bybelcarvalho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Faça o seu comentário!