Páginas

Translate

Selvageria

Imagem do Google
Hoje acordei com vontade de ser levada pelo vento ao Mundo de Oz. Gostaria de pedir ao mágico que tudo sabe um cérebro para a imprensa brasileira. Fala-se tanto em ética na formação dos jornalistas, mas não é bem isso o que assisto no sofá de casa. 

Há uma regra no jornalismo, que é cumprida, de não divulgar casos de suicídio sob o argumento de que a exposição dos casos de morte voluntária incentivaria outros. Nenhum veículo quer correr o risco de ser responsabilizado por essas tragédias particulares. Então, cumpre-se a regra!

Por que mostrar as cenas de depredação de patrimônio público? Os vândalos querem justamento isso:  ver a destruição, fruto dos seus atos planejados, exposta em imagens que se repetem nos noticiários. Correm os fotógrafos e cinegrafistas para os pontos de tumulto como bobos que não pensam nas consequências. 

As cenas de vandalismo dão ibope, alimentam a nossa revolta e indignação, mas dão ânimo à desordem a ser ensaiada por novas hordas. Sugiro colocar uma imagem negra na nossa tevê com o protesto latente: Não mostraremos mais cenas de vandalismo. Vândalos não merecem destaque nos nossos noticiários!

Será que não surtiria mais efeito? Que adianta a quebradeira se as cenas não serão mostradas para chocar o país? Seria uma tentativa, pelo menos. 

Também não entendo a exposição gratuita de pobres inocentes acusados sem provas e depois inocentados. É preciso responsabilidade e não é a primeira vez que erros como esses são reproduzidos pela imprensa. A referência é para os quatro rapazes torturados no caso da adolescente Tayná, em Curitiba. Todos viram seus rostos porque as imagens foram destaque nas tevês e jornais. 

Dá ibope! Mas e agora? Já tiveram seus rostos gravados pela memória coletiva como culpados. A conclusão é que temos uma imprensa que não mede seus atos, uma polícia que ainda tortura para se mostrar eficiente e o culpado pelo crime, ou culpados, andando por aí. Qual a imagem do seu rosto?  

Queria pedir ao Mágico de Oz que voltasse o tempo para que a imprensa colocasse tarjas negras sobre os rostos desses acusados e inocentes. Não diz o nosso direito que todos são inocentes até que se prove a culpa?

A imprensa não pode atropelar a si própria. Cautela deveria ser o primeiro princípio da ética jornalística. Pensando bem, pediria um cérebro, um coração e coragem para a nossa imprensa. A mudança que o país ensaia precisa ser levada adiante com inteligência, amor à pátria e peito forte. Só assim acredito na retomada da ordem e do progresso a tremularem no alto do mastro. 

14 comentários:

  1. Excelente texto. Como dizia minha mãe "cautela e caldo de galinha não faz mal a ninguém"', e, nos casos citados, era preciso medir as consequências antes de espalhar as imagens e palavras. Quem vai recolhe-las agora? Como reparar o erro?

    ResponderExcluir
  2. Texto genial,Rovenia!Penso que a violencia gera violencia e, quando mostrada assim na TV, só incentiva outros a agirem igual.Bjs,

    ResponderExcluir
  3. Vou com vc levar o pedido assinado, rubricado e autenticado.
    Maravilha de percepção, exposição do assunto, argumentações e referência aos personagens de OZ, que bem podiam ser mais imitados do que vampiros, lobos.

    ResponderExcluir



  4. Uns anos atrás existia um jornal que se espremesse saia sangue, era uma opção para as mentes trágicas (rs) . hoje em dia tá dificil achar algo que eleve...não entendo e não compactuo com quase nada que assisto e leio.

    #vocêmerepresenta


    beijão

    P.S.
    me deixou com vontade de maça do amor...vou procurar o tiozinho que vende lá no calçadão.

    ResponderExcluir
  5. Minha teoria da conspiração: A impressa quer é ver o circo pegar fogo com o bombeiro de ressaca depois de uma festa de final de ano da instituição.

    Se isso vender melhor ainda! E não da tempo para conferir nada pq no blog ou no portal ja saiu.

    ResponderExcluir
  6. Realmente, concordo contiggo!
    Eu nem assisto muito jornal de tanta tragedia, fico deprimida!

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Olá, Rovênia.

    Assino o manifesto [risos].

    Sem holofotes não há espetáculo.

    Abs!

    ResponderExcluir
  8. Concordo com cada palavra que você escreveu. Às vezes a imprensa age de uma forma tão sensacionalista e inconsequente, que dá até nojo de ver. E quanto ao vandalismo, seu ponto de vista é incrível: não deveria mesmo ser noticiado, assim não incentivaria ninguém. Texto perfeito, sem mais.

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
  9. Oi Rovênia. Confesso não havia pensado sobre isso desta forma. Mas concordo contigo. Atitudes assim acabam por aumentar a violência. Uma pena nosso pais ainda ser tão frágil para essas coisas.

    Importantíssima tua reflexão!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Tem tanta coisa que desmerece a ordem e progresso por aí!Credo! Lindo texto! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  11. Rovênia, coloque os sapatinhos vermelhos e leve o seu texto com a assinatura e o desejo de muitos.
    Certa vez ouvi uma entrevista de algum paisagista que "decorava" praças em Curitiba e ele dizia de um conceito japonês onde o belo inspirava o cuidado. Nossa imprensa, especialmente alguns nomes e programas bem conhecidos deveriam pensar assim.
    Ótimo texto! Bj

    Ah, já ia esquecendo, estou sim em Passos - MG. Aguardando a dica do poeta!

    ResponderExcluir
  12. É uma verdade. AS pessoas d]ao ibope para coisas que não precisam ao invés de apoiarem atitudes boas, para servir como exemplo. Infelizmente, no Brasil, as coisas ruins tem mais peso do que as coisas boas e tantas pessoas boas por aí fazem coisas boas e não são reconhecidas. Isso me revolta.

    Kisu!

    ResponderExcluir
  13. Cara muito bom o texto, adorei a sua reflexão!
    http://zandraprincessmakeup.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Um exemplo de que a mídia está podre é a mudança de comportamento da Globo que até novela deixou de passar para apoiar o povo!

    Alguém caiu naquilo?!

    Gostei do teu desabafo, compartilho da mesma opinião!

    ResponderExcluir

Faça o seu comentário!