Páginas

Translate

Atento aos sinais

Sabe, às vezes o improviso vale muito. Faz a diferença entre o perfeito e a tentativa. Nunca tinha ido a um show do Ney Matogrosso. A todos que me perguntam sobre o show no último sábado, digo que foi um show perfeito. Mas não posso demonstrar empolgação. Por quê? Faltou o improviso na noite de lua cheia.

Aos 71 anos, o artista exibe um corpo invejável. Dança e canta bem, é  perfomático no palco, tão profissional que foge do improviso. Ele apresentou as músicas novas, fez a histeria das mulheres ao rebolar com sensualidade, mas voltou para o esperado bis sem cantar suas músicas mais populares. Deixou a plateia da cidade onde morou por tantos anos com a sensação de que faltava algo.

Resultado: as pessoas insistiram um segundo bis. Ney voltou sozinho e apresentou suas desculpas:

- Até gostaria de cantar mais para vocês, mas não ensaiamos nenhuma outra música!

Os seus fãs entenderam e começaram a deixar o local do show.  Estiquei os ouvidos para apanhar os comentários. Todos pareciam entender o artista que comemora 40 anos de carreira.

- Ele é metódico, perfeccionista.

- Ele é o máximo. Se voltar a Brasília em outubro para fazer show, eu venho de novo!

Cada um buscava uma desculpa, mas, na verdade, faltou o improviso. O valoroso improviso do artista. Mesmo sem ensaio, todos ali cantariam juntos e ajudariam. Os aplausos teriam sido mais intensos.  E eu vou comprar o disco novo, aprender as músicas para poder cantar em noite de lua cheia num lugar onde ninguém me ouça!




8 comentários:

  1. Rovênia, isso mesmo. O improviso é fundamental. Sendo bem extremista, imagine um piloto da aviação comercial que não consegue improvisar. É uma "rodinha" do trem de pouso falhar e ele chamar o mecânico para trocar a rodinha em pleno vôo, kkk!
    Bem, mas pelo talento do Ney Matogrosso a gente perdoa, mas ele deve ficar incomodado por não poder atender ao seu público, né?

    Feliz pós-Páscoa (Páscoa atrasada) para você e todos os seus.

    Abraços

    Manoel

    ResponderExcluir
  2. O inesquecível as vezes vem do improviso rsss

    Mas talento é talento, perdoa-se .


    Beijos
    Joelma


    ResponderExcluir
  3. Mas o Ney pode...ele é fodástico!!!

    ResponderExcluir
  4. O improviso deve estar na alma do artista! Grandes composições, criações surgem de imprevistos!!!


    Gostei de tua colocação Rovênia!!
    Beijo grande

    ResponderExcluir
  5. Belo relato, e sobre o improviso... É essencial.

    ResponderExcluir
  6. Na verdade, penso que o que todos esperavam é que ele também quisesse ficar um pouco mais com vocês. Assim como todos queriam ouvi-lo um pouco mais. Que tal repetir uma música? Não importa, quando a gente gosta o disco pode rodar mil vezes, até a agulha furar. Ops, acabei de revelar a minha idade....

    ResponderExcluir
  7. [risos...]
    'quem canta seus males espanta'

    O improviso certamente teria deixado o público ainda mais satisfeito.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  8. Ney é demais! Ro, ele já esteve em Floripa algumas vezes e eu não tive a oportunidade de assisti-lo, ou seja, faltou verba se é que você me entende... :)) Mas concordo com você quando fala do improviso. É isso aí.Bjs!

    ResponderExcluir

Faça o seu comentário!